Unasul quer ampliar comércio regional sem o dólar

O conselho de Economia e Finanças da Unasul, instituído hoje durante reunião de ministros da Fazenda e representantes dos Bancos Centrais dos 12 países da região em Buenos Aires, vão estudar medidas para reforçar o comércio regional em moedas locais, sem o dólar.

MARINA GUIMARÃES, CORRESPONDENTE, Agência Estado

12 de agosto de 2011 | 20h32

A informação é do vice-ministro de Economia da Argentina, Roberto Feletti. "Chegamos a um acordo sobre três eixos de trabalho e um deles é avançar em mecanismos multilaterais de pagamentos, para sustentar o comércio e proteger os volumes de reservas", disse Feletti durante entrevista coletiva à imprensa.

Ele destacou que o comércio entre os países da região movimenta a cifra de US$ 120 bilhões anuais. "O uso de moedas locais, excluindo o dólar, protege as reservas e incrementa o comércio porque há taxas menores de transações", ilustrou em rápida conversa com a Agência Estado. Ainda na coletiva, o vice-ministro argentino disse que o segundo foco de trabalho será "a coordenação do uso de reservas para facilitar a tarefa dos Bancos Centrais na atuação diante das volatilidades".

Por último, ele detalhou que os grupos técnicos dos países vão trabalhar no desenvolvimento e fortalecimento de Bancos de Desenvolvimento, como a Corporação Andina de Fomento (CAF) e o Banco do Sul, que ainda não saiu do papel. Junto com esse terceiro ponto, esclareceu, os técnicos vão revisar o Fundo Latino-americano de Reservas (FLAR) "para ver se pode ser ampliado e dar maior capacidade de intervenção" dos países em caso de ataques especulativos contra as moedas ou dívidas soberanas.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaUnasulcomércio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.