União Africana condena ataque ao Iraque

A cúpula extraordinária da União Africana (UA) terminou com um forte repúdio à guerra no Iraque e o apoio a um acordo para pôr fim à crise na Costa do Marfim, sob os auspícios da França. À margem das discussões oficiais, o líder líbio Muamar Kadafi se ofereceu como mediador entre o presidente dos EUA, George W. Bush, e Saddam Hussein.Durante a reunião de cúpula foi formalizada a decisão de enviar tropas de paz ao Burundi, além de se discutirem os conflitos no Congo, República Centro-Africana, Sudão e Somália, entre outros. A UA, que tem 53 Estados-membros, foi lançada em julho de 2002 em Durban, na África do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.