União Europeia deve aplicar novas sanções contra a Síria

Um funcionário da União Europeia (UE) disse que o bloco planeja aplicar mais sanções ao governo da Síria, desta vez tendo como alvo mais pessoas físicas e quatro empresas. Segundo a fonte, o aumento da lista de pessoas e empresas sob sanção tem como objetivo censurar o presidente Bashar Assad pela piora na situação do país. As novas sanções devem ser aprovadas até a noite de amanhã, quando os líderes da UE iniciam uma reunião de cúpula. O funcionário falou em condição de anonimato, por causa da sensibilidade da questão.

AE, Agência Estado

22 de junho de 2011 | 16h23

As novas sanções vão elevar para 34 o número de pessoas e entidades atingidas pelo congelamento de ativos e proibição de viagem. A UE também embargou a venda de armas e equipamentos que podem ser usados para sufocar manifestações. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaprotestosUEsanções

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.