União Européia deve manter apoio à Autoridade Palestina

Os líderes da União Européia (UE) devem conclamar Israel e os palestinos a pôr fim aos confrontos e reiterar o apoio da entidade à criação de um Estado palestino na reunião de cúpula de dois dias que se realiza nesta semana em Copenhague, Dinamarca, afirmaram hoje funcionários da UE. Os 15 líderes também devem reiterar seu apoio financeiro à Autoridade Palestina, sob o líder Yasser Arafat. "Haverá uma firme adesão ... à nossa assistência à Autoridade Palestina", afirmou o porta-voz da UE, Gunnar Wiegand. Os ministros do Exterior da UE discutiram a crise do Oriente Médio num encontro hoje, que antecedeu a reunião de cúpula. No encontro, eles elaboraram o esboço de uma declaração que será anunciada pelos líderes da União Européia. A declaração vai lançar o compromisso de um apoio ao "traçado de uma estrada bem delineada" para a paz no Oriente Médio que a UE, os Estados Unidos, a Rússia e as Nações Unidas planejam apresentar em Washington na próxima semana, afirmou Wiegand. "A comunidade internacional enviará um forte sinal que traduz a visão de um segundo Estado palestino ao lado de Israel até 2005", acrescentou. A UE também deve pressionar os palestinos a adotar amplas reformas para acabar com a corrupção e o suposto mal uso da ajuda internacional. Desde 2000, o escritório central da UE contribuiu com ? 767 milhões em ajuda humanitária e outros tipos de assistência. Os recursos são usados para fornecer alimentos em caráter emergencial e água, para financiar as reformas do sistema judiciário palestino e os hospitais palestinos.

Agencia Estado,

10 Dezembro 2002 | 13h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.