União Europeia não reconhece Lukashenko como presidente da Bielo-Rússia

Chefe da diplomacia europeia afirmou que a eleição recente "não foi livre nem imparcial" e que novo mandato "não tem legitimidade democrática"

Redação - O Estado de S.Paulo

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você leu 4 de 5 matérias gratuitas do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar por R$ 0,99

A União Europeia descartou reconhecer Alexander Lukashenko como presidente da Bielo-Rússia um dia após o início de seu sexto mandato, segundo o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell. 

Josep Borrell, chefe da diplomacia europeia, disse que posse de Lukashenko "contradiz a vontade de grandes setores da população da Bielo-Rússia". Foto: Yiannis Kourtoglou/REUTERS

"A eleição de 9 de agosto não foi livre nem imparcial. A União Europeia não reconhece os resultados falsificados. Por isso, a suposta 'posse' realizada no dia 23 de setembro e o novo mandato de Alexander Lukashenko não têm nenhuma legitimidade democrática". 

O comunicado de Borrell diz ainda que a posse de Lukashenko "contradiz a vontade de grandes setores da população da Bielo-Rússia".  

A cerimônia que marcou o novo mandato do presidente foi organizada em sigilo para não virar um novo catalisador de uma grande manifestação, segundo opositores e a imprensa independente. 

Lukashenko enfrenta desde a eleição presidencial de 9 de agosto um desafio sem precedentes, com dezenas de milhares de pessoas a cada domingo nas ruas de Minsk para denunciar sua reeleição, considerada fraudulenta, apesar da repressão violenta aos protestos./AFP

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato