União Europeia negocia com Egito e palestinos

Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia pressionaram hoje o Egito a fazer mais para evitar que armas cheguem aos militantes do Hamas na Faixa de Gaza - um problema que tem minado os esforços para a concretização de uma trégua mais prolongada no Oriente Médio.Os 27 ministros da UE buscaram apoio de seus colegas da Jordânia e da Turquia nas negociações para ajudar a criar um cessar-fogo duradouro após a ofensiva israelense que se seguiu por 22 dias. A ação de Israel que pretendia destruir o arsenal de foguetes do Hamas foi encerrada no último dia 17 - resultando na morte de pelo menos 1.300 palestinos.Os líderes do Hamas insistem em ter um papel de liderança nas operações de travessia na fronteira porque o grupo fundamentalista islâmico venceu as eleições palestinas em 2006. Mas a UE e os EUA tem estigmatizado o Hamas como organização terrorista, além de reconhecer que o direito do grupo de governar Gaza sozinho seria inaceitável.Na semana passada, a ministra das Relações Exteriores israelense, Tzipi Livni, se reuniu com ministros da UE e concordou que Israel deve permitir a entrada de mais ajuda humanitária para a Faixa de Gaza. Mas o Egito tem mantido fechado o seu lado da fronteira com Gaza desde 2007, em oposição a chegada do Hamas ao poder.Grupos de ajuda internacional e das Nações Unidas dizem que a prioridade é garantir que o máximo de ajuda seja enviada para Gaza, levando alívio para 1,4 milhão de pessoas que vivem na área.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.