Uniao Europeia pedirá que Israel estenda moratória sobre assentamentos

Construção de colônias judias em territórios ocupados é ponto chave nas negociações com palestinos

REUTERS

15 de setembro de 2010 | 19h39

Líderes da União Europeia pedirão nesta quinta-feira, 16, que Israel estenda sua moratória na construção de assentamentos na Cisjordânia ocupada, segundo um esboço da conclusão do encontro obtido pela Reuters.

Veja também:

especialInfográfico: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

especialLinha do tempo: Idas e vindas das negociações de paz

forum Enquete: Qual a melhor solução para o conflito?

"A União Europeia julga ser indispensável que ambos os lados tenham calma e cautela e se abstenham de ações que possam afetar negativamente o progresso da negociação", indica o esboço da declaração. O texto se refere às conversas de paz diretas entre israelenses e palestinos, iniciadas neste mês.

"Nesse contexto, reafirma que os assentamentos são ilegais sob a lei internacional e, com a visão de garantir que estas conversas sigam de uma maneira construtiva, pede por uma extensão da moratória decidida por Israel."

A moratória de 10 meses imposta por Israel termina no fim de setembro. Os Estados Unidos afirmaram que "faria sentido" para Israel estender seu congelamento na construção de novas moradias em território reivindicado pelos palestinos como parte de um futuro Estado independente.

Líderes da União Europeia não devem emitir um comunicado sobre o Oriente Médio nesta reunião, que irá ocorrer em Bruxelas, mas diplomatas do bloco disseram que a França pressionou pela aprovação de uma declaração.

Além de pedir que Israel amplie sua moratória, o rascunho do texto pede que Israel permita acesso maior a produtos na Faixa de Gaza, onde vivem mais de 1,4 milhão de palestinos.

"(A UE) saúda as medidas recentes anunciadas pelo governo israelense como um passo adiante importante, mas pede a implementação completa e medidas adicionais para se chegar a uma mudança de política fundamental," diz o esboço.

O documento também pede que Israel chegue à paz não somente com os palestinos, mas também com o Líbano e a Síria.

Os líderes europeus se reunirão na quinta-feira para uma cúpula de um dia, na qual discutirão políticas econômicas e as relações mundiais do bloco. As declarações serão feitas ao fim do dia.    

 

Leia ainda:

linkDiscussão sobre moratória de colônias avança, dizem EUA

linkMilitantes palestinos jogaram bombas de fósforo contra Israel, diz Exército

linkAbbas ameaça deixar negociações caso Israel retome construção de colônias 

(Reportagem de Luke Baker)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.