Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters

União Europeia prolonga sanções contra Rússia pela anexação da Crimeia

Restrições de importações e investimentos permanecerão em vigor até junho do ano que vem; península foi anexada ao território russo em 2014

O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2018 | 07h29

BRUXELAS - A União Europeia estendeu por mais um ano as sanções contra à Rússia pela anexação da Crimeia, em 2014. Em declaração publicada nesta segunda-feira, o bloco diz que se mantém "firmemente comprometido com a soberania e integralidade territorial da Ucrânia".

+ No volante de um caminhão, Putin inaugura ponte entre Crimeia e Rússia

Com a medida, as sanções permanecem em vigor até 23 de junho de 2019 e proíbem a importação de produtos da Crimeia, cortam investimentos imobiliários europeus na região e impedem que navios atraquem nos portos da península. Além disso, as restrições também atingem bens e tecnologias que podem ser usadas para transportes, telecomunicações e pelo setor energético.

+ Moisés Naím: Um mundo opaco

Anexada pela Rússia em 2014, a Crimeia se tornou ponto de disputa entre o governo de Vladimir Putin e a Ucrânia, apoiada pela União Europeia. Enquanto o Kremlin afirma que a anexação foi realizada dentro da legalidade, os países do Ocidente afirmam que se tratou de uma invasão. No comunicado desta segunda, o bloco europeu afirma que o caso se trata de uma "violação das leis internacionais". //ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.