União Europeia quer reforçar monitoramento de ebola

A União Europeia afirmou nesta quinta-feira que planeja reforçar a vistoria de pessoas que chegarem de países afetados pelo ebola na África Ocidental, mas ressaltou que cabe a cada nação determinar se os indivíduos serão examinados nas fronteiras.

Estadão Conteúdo

16 de outubro de 2014 | 19h45

"A decisão de introduzir a triagem de entrada e qual tipo será continua a ser soberana dos Estados membros", disse Tonio Borg, comissário de saúde do bloco. "Estamos prontos para coordenar e dar informações a todos os países, que devem usá-las para se protegerem como bem entenderem."

Os riscos na Europa aumentaram nesta quinta-feira, após um passageiro em um voo da Air France que apresentava sintomas do ebola ser levado às pressas de um aeroporto de Madri para um hospital, devido à abordagem mais agressiva do governo espanhol para lidar com a crise. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 4.500 pessoas morreram devido À doença.

Borg alertou que o risco de contaminação do vírus na Europa permanece baixo, mas disse que a UEA vai coordenar informações disponíveis em sistemas de vistos e das linhas aéreas para identificar pessoas que estejam entrando na Europa vindas de áreas afetadas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
União Européiaebola

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.