Unicef diz que 296 crianças foram mortas em Gaza

Número de mortos palestinos passou de 1.665, segundo o Ministério da Saúde do território

Reuters/AFP

02 de agosto de 2014 | 15h09

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) anunciou no sábado,2, que a ofensiva militar de Israel na Faixa de Gaza causou a morte de ao menos 296 crianças e adolescentes palestinos desde o início do conflito, na noite do dia 7. O número de mortos palestinos passou de 1.665 no sábado, segundo o Ministério da Saúde do território. 

"As crianças representam 30% das vítimas civis", estimou a agência da ONU ontem. O Unicef avaliou ainda que os dados não eram definitivos e o número de crianças mortas poderia aumentar à medida em que novos levantamentos forem feitos na região. 

O Estado de Israel acusa o movimento islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza, de usar sua população como "escudo humano". 

Na contramão das alegações internacionais, o vice-ministro das Relações Exteriores de Israel, Tzachi Hanegbi, disse a uma TV israelense que seu país tem evidências de que quase metade dos palestinos mortos é de combatentes. 

"Há pesquisas sendo feitas no setor militar, pesquisas muito profissionais e confiáveis, que concluem que pelo menos 47% das mortes são de terroristas. (Pesquisas) com fotografias e nomes", declarou Hanegbi. Ele declarou que os dados serão apresentados a "investigadores", sem dar mais detalhes.

Tudo o que sabemos sobre:
Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.