Unicef quer libertação de 90 seqüestrados por ugandenses

Grupo de estudantes foi seqüestrado há duas semanas no leste da República Democrática do Congo

Efe,

02 de outubro de 2008 | 02h54

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) exigiu nesta quinta-feira, 2, que os rebeldes ugandenses do Exército de Resistência do Senhor (LRA, na sigla em inglês) libertem os 90 estudantes seqüestrados há duas semanas no leste da República Democrática do Congo (RDC). O órgão da ONU pediu em um comunicado a "libertação imediata e incondicional" de todos os estudantes feitos reféns durante o ataque do último dia 17 contra três localidades da província congolesa de Orientale. Segundo o Unicef, há vários casos documentados de que meninos da região que são seqüestrados acabam obrigados a virar soldados, enquanto as meninas são usadas como escravas sexuais.

Tudo o que sabemos sobre:
UnicefCongoUgandaseqüestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.