AFP PHOTO / Glyn KIRK
AFP PHOTO / Glyn KIRK

Unidade anticrime investiga doações a grupo pró-Brexit

Há suspeita de financiamento ilegal da campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia

O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2018 | 20h02

LONDRES - A agência anticrime do Reino Unido abriu nesta quinta-feira uma investigação sobre o empresário apoiador do Brexit Arron Banks e um dos principais grupos que fizeram campanha pela saída do país da União Europeia. As autoridades pretendem saber a fonte de milhões de libras em doação.

Separadamente, a Comissão Eleitoral disse ter encontrado graves problemas na arrecadação para a campanha do Brexit, em 2016, incluindo verbas de doadores não permitidos e a dissimulação de transações financeiras.

A investigação é delicada, pois pode pôr em dúvida a legitimidade da votação. A comissão disse suspeitar que atos ilegais foram cometidos e Banks não é a real fonte de uma doação de 8 milhões de libras (US$ 10 milhões) para os grupos que fizeram campanha pelo Brexit.

Ao anunciar a investigação, a Agência Nacional Anticrime – cujo foco é normalmente o crime organizado – disse que se envolveu em razão da suspeita de financiamento ilegal, não de violação da lei eleitoral. Banks disse que a investigação era bem-vinda: “É uma oportunidade para esclarecer a questão.” 

Em 23 de junho de 2016, 17,4 milhões de eleitores (51,9%) votaram a favor do Brexit. Os opositores têm pedido uma nova votação sobre o Brexit, alegando irregularidades financeiras e possível doação externa – como da Rússia. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.