United Airlines diz que não há risco de contaminação

United Airlines diz que não há risco de contaminação

A United está informando aos clientes que o próprio CDC declarou que o "risco é zero", após saber que o paciente liberiano Thomas Eric Duncan viajou em dois voos da companhia

Estadão Conteúdo

02 de outubro de 2014 | 18h09

Após ser informada de que Thomas Eric Duncan, o liberiano hospitalizado com ebola em Dallas, nos EUA, viajou em dois voos da United Airlines no dia 20 de setembro, a empresa informou que começou a contactar imediatamente "diversas centenas" de outros passageiros nos dois voos.

De acordo com a United, a empresa está fornecendo a essas pessoas o contato do Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), capaz de responder a perguntas sobre a possível transmissão do vírus. Ao mesmo tempo, a United está informando aos clientes que o próprio CDC declarou que o "risco é zero".

Acredita-se que Ducan voou da Monróvia, capital da Libéria, para Bruxelas em uma linha aérea europeia. Em seguida, ele embarcou no voo 951 da United em Bruxelas para o Aeroporto Internacional Dulles, em Washington, onde foi transferido para o voo 822 da United para o Aeroporto Internacional Worth, em Dallas.

A United, segunda maior companhia em tráfego aéreo dos EUA, não informou quantos passageiros foram contactados. A companhia também se comunicou com a equipe de bordo desses voos e com todos seus funcionários.

As duas aeronaves usadas nos voos de 20 de setembro passaram pela limpeza regular noturna e continuam operando normalmente, de acordo com a United. A companhia continua realizando os voos de Bruxelas para os EUA, assim como de Houston para Lagos, na Nigéria, o único direto dos EUA para a África. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ebolaUnited Airlines

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.