Universidade denuncia escravidão na Flórida

Um modo moderno de escravidão sobrevive bem na Flórida, denunciou um grupo de defesa dos direitos humanos ao divulgar relatório sobre o trabalho forçado de agricultores, empregadas domésticas e de mulheres submetidas à prostituição. Traficantes de seres humanos levam milhares de pessoas aos Estados Unidos todos os anos. Acredita-se que a Flórida seja um dos principais destinos desses trabalhadores, ao lado de Nova York e Texas, informou o Centro para o Avanço dos Direitos Humanos da Universidade Estadual da Flórida.Apesar das diversas denúncias sobre o tráfico de seres humanos na Flórida, ninguém sabe dizer ao certo quantas pessoas estão sob controle dos traficantes no Estado, disse Terry Coonan, diretor executivo do centro. No sul da Flórida, investigações federais indicam que centenas de agricultores foram vítimas de tráfico humano.Na mesma região, uma rede de prostituição forçada identificou mais de 40 adolescentes e mulheres trazidas do México. O centro também cita um caso de "escravidão doméstica? no sudoeste do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.