Universitários britânicos protestam contra aumento de taxas

Governo vota lei nesta quinta; elevação faz parte de programa de corte de gastos

Reuters e Efe

09 de dezembro de 2010 | 14h45

Polícia intefere em manifestação; violência se elevou em alguns locais.

 

LONDRES - Milhares de estudantes britânicos se reuniram nesta quinta-feira, 9, em frente ao Parlamento para protestar contra o aumento de taxas de matrícula nas universidades do país. Os deputados devem votar hoje o projeto, que prevê taxas de até £ 9 mil (cerca de R$ 24 mil) por ano para admissão dos estudantes no ensino superior.

 

A lei deve ser aprovada, apesar da oposição de alguns deputados do partido Liberal-Democrata, que integra a coalizão conservadora do premiê David Cameron.

 

Os manifestantes protestam principalmente contra os liberais, que na campanha eleitoral se opuseram ao aumento das taxas. O vice-primeiro-ministro, Nick Clegg, líder do partido, defende o plano e diz que ele servirá para manter a qualidade das universidades.

 

Nas últimas semanas, estudantes organizaram protestos contra o aumento das taxas, promovido pela coalizão liberal-democrata e conservadora, formada neste ano. "A aprovação do aumento das taxas será o primeiro teste para a coalizão", disse Ben Page, chefe do instituto Ipsos MORI, que faz pesquisas de opinião.

 

A elevação dos valores afetará somente os estudantes da Inglaterra. Na Escócia, o ensino superior é gratuito e o governo do País de Gales afirmou que seus estudantes não pagarão mais, a não ser que estudem em universidades inglesas. O governo da Irlanda do Norte ainda não anunciou suas medidas.

Tudo o que sabemos sobre:
LondresestudantesReino UnidoCameron

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.