Uribe é acusado de ´trair a pátria´ por assinar TLC com os EUA

O Pólo Democrático Alternativo (PDA), partido de oposição da Colômbia, acusou na quinta-feira, 8, o presidente colombiano, Álvaro Uribe, de "traição da pátria", por ter assinado o Tratado de Livre-Comércio (TLC) com o dos Estados Unidos.A denúncia foi formalizada na Comissão de Acusação e Investigação da Câmara de Representantes pelo congressista Jorge Robledo, líder do PDA e um dos principais críticos do acordo comercial.Colômbia e Estados Unidos assinaram o TLC em 22 de novembro, em Washington, nove meses depois de suas equipes encerrarem as negociações formais, iniciadas em maio de 2004.Robledo disse à imprensa que, no documento, demonstra "como a soberania e o interesse nacional foram gravemente enfraquecidos pelo TLC". Uribe, na sua opinião, violou os dois artigos do Código Penal do país que definem os delitos de "traição a pátria" e "traição diplomática"."É evidente que o TLC submete a soberania no todo ou em parte ao domínio estrangeiro, neste caso dos Estados Unidos, e afeta sua natureza de Estado soberano", acusou.O regulamento do Congresso estabelece que o comitê da Câmara deve avaliar a denúncia e decidir se abre uma investigação formal. Como o acusado é o presidente, o processo deve ir ao Senado, para a etapa de julgamento.A denúncia foi formalizada três dias antes de o presidente americano, George W. Bush, chegar a Bogotá. Ele visitará no próximo domingo a capital colombiana, onde passará cerca de seis horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.