Uribe impõe ressalvas a diálogo

O jornal "El Tiempo", de Bogotá, informou ontem que o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, estaria disposto a comparecer a um encontro da União Sul-americana de Nações (Unasul), desde que a reunião não seja no Equador, país que ocupa a presidência temporária da organização e com o qual a Colômbia não mantém relações diplomáticas desde março de 2008, rompidas quando o Exército colombiano atacou um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em território equatoriano.De acordo com o jornal, que ouviu fontes próximas do presidente Uribe, a Colômbia tentaria também colocar na agenda da Unasul o debate sobre temas de seu interesse, como o combate ao tráfico de drogas e de armas, os acordos militares de outros países da região com potências de fora do continente e a ajuda militar de vizinhos a grupos armados dentro do território colombiano.A próxima reunião da Unasul deve ocorrer em setembro, durante a abertura da Assembleia Geral da ONU. A proposta do governo brasileiro era a de que a ocasião servisse para que os líderes sul-americanos se reunissem com o presidente dos EUA, Barack Obama, para esclarecer o acordo militar. A ideia ganhou força na terça-feira com a declaração do presidente venezuelano Hugo Chávez apoiando o encontro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.