Uribe irá a nova reunião da Unasul

O presidente colombiano, Álvaro Uribe, confirmou ontem que irá à reunião de cúpula extraordinária de presidentes da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), em Bariloche, Argentina, no dia 28. A ideia do governo colombiano é que o encontro não sirva só para discutir os acordos militares entre Bogotá e Washington, mas também a cooperação entre Venezuela, Rússia, China e Irã, além das denúncias de que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, teria entregado armas às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). O chanceler colombiano, Jaime Bermúdez, acompanhará Uribe. Eles não participaram da reunião da Unasul realizada na segunda-feira em Quito, já que Colômbia e Equador romperam laços diplomáticos no ano passado. A reunião de Bariloche foi uma proposta feita pela presidente argentina, Cristina Kirchner. Ontem, o subsecretário adjunto dos EUA para Assuntos Latino-Americanos, Christopher McMullen, disse que o alerta de Chávez sobre uma possível guerra na América do Sul é irresponsável e "não serve à causa da paz na região".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.