Uribe nega que Colômbia queira sair da Unasul

O presidente colombiano, Álvaro Uribe, negou hoje que pretenda retirar-se da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), como chegaram a cogitar ontem dois ministros colombianos que participaram da reunião do grupo, em Quito, no Equador. "A Colômbia é um país que respeita as instituições internas e internacionais. O fato de um país como a Colômbia apresentar seu ponto de vista parece positivo, é a razão de ser destas instituições que têm de ser fóruns de muita sinceridade", disse Uribe.

AE-AP, Agencia Estado

17 de setembro de 2009 | 20h37

A Colômbia tem sido pressionada pelos outros 11 países-membros da Unasul a apresentar garantias escritas de que seu acordo militar com os Estados Unidos - que prevê o uso de até sete bases militares colombianas por forças americanas - não representa uma ameaça para segurança coletiva da América do Sul.

O ministro colombiano da Defesa, Gabriel Silva, e o chanceler, Jaime Bermúdez, disseram ontem, em ocasiões separadas, que a Colômbia poderia avaliar sua continuidade na Unasul diante do que Silva chamou de falta de "sensibilidade" e "preocupação" dos Estados-membros com "o narcotráfico, o armamentismo e o crime organizado". A Colômbia queria que, além de seu acordo militar, a Unasul analisasse a compra de armas na região. Uribe também afirmou que seu governo não está nem estará "numa corrida armamentista internacional".

Tudo o que sabemos sobre:
UnasulColômbiaÁlvaro Uribe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.