Uribe responde a Lula que crise não é 'assunto pessoal'

O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, disse que "deplora" que o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, considere que a atual crise diplomática entre Colômbia e Venezuela se trate de "um caso de assuntos pessoais" entre os mandatários de ambos os países, informou um comunicado da presidência colombiana.

AE-AP, Agência Estado

29 de julho de 2010 | 15h23

O porta-voz da presidência da Colômbia, César Mauricio Velásquez, leu o comunicado no qual assinalou que Uribe "deplora que o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, com quem temos cultivado as melhores relações, se refira à nossa situação com a República Bolivariana da Venezuela como se fosse um caso de assuntos pessoais, ignorando a ameaça que para a Colômbia e para o continente representa a presença dos terroristas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) nesse país".

Na véspera, após uma reunião em Brasília com o mandatário da Nicarágua, Daniel Ortega, Lula disse sobre a Colômbia e a Venezuela: "Ainda não vi conflito. Eu vi é conflito verbal, que é o que nós ouvimos mais aqui nessa América Latina".

"Desconhece o presidente Lula o nosso esforço para buscar soluções através do diálogo", agregou a mensagem. "Repetimos com todo o respeito ao presidente Lula e ao governo do Brasil que a única solução que a Colômbia aceita é que não seja permitida a presença dos terroristas das Farc e do Exército de Libertação Nacional (ELN, outro grupo guerrilheiro colombiano de esquerda) em território venezuelano", acrescentou Velásquez.

Enquanto isso, o chanceler da Colômbia, Jaime Bermúdez, disse que seu país participará do encontro de ministros das relações exteriores dos países da União de Nações Sul-americanas (Unasul), que começa hoje em Quito, "sem maiores expectativas" de resultados. Bermúdez afirmou que Bogotá não se retratará das denúncias que fez sobre a presença de chefes da guerrilha colombiana em território venezuelano. Lula deverá visitar Caracas em 6 de agosto e, no dia seguinte, deverá participar da posse do presidente eleito da Colômbia, Juan Manuel Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.