Uribe sofre dupla derrota eleitoral na Colômbia

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, sofreu uma dupla derrota no fim de semana, ao não conseguir traduzir em apoio eleitoral os cerca de 70% de popularidade que vem mantendo desde que tomou posse. No sábado, o governo não conseguiu aprovar em bloco as 15 propostas submetidas a referendo popular. Faltando apurar apenas 2,1% dos votos a serem apurados, nenhuma das questões obteve o quórum mínimo de 25% do total de eleitores para ser aprovada. A totalização dos votos do referendo foi suspensa no domingo, enquanto chegam os boletins do interior do país.Apenas cinco perguntas do referendo poderiam atingir o quórum mínimo, mas a que estabeleceria a reeleição para a presidência, a que congelaria os gastos fiscais e a que reduziria o Congresso - nas quais Uribe apontava todas as suas fichas políticas - já não tinham chances de aprovação.No domingo, nas eleições regionais, candidatos aliados de Uribe perderam na maior parte das disputas pelo comando dos governos departamentais e prefeituras de grandes cidades. A prefeitura da capital, Bogotá, foi conquistada pelo sindicalista Luis Eduardo Garzón, que se candidatou como independente. Garzón será o primeiro político de esquerda a governar a cidade.O ministro do Interior, Fernando Londoño, assumiu a responsabilidade pela derrota eleitoral e admitiu que o presidente estava "afetado" pelo resultado dos dois dias de eleição. Londoño disse também que considerava renunciar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.