Urnas para eleições afegãs serão levadas por 3 mil jumentos

Animais levarão equipamentos para regiões de difícil acesso; segurança é o principal temor das autoridades

Associated Press,

28 de julho de 2009 | 13h35

Mais de 3 mil jumentos estão sendo mobilizados no Afeganistão para ajudar a entregar as cédulas para a eleição do dia 20, que um graduado funcionário da ONU caracterizou como a votação mais complicada que já viu. "Essas são as eleições mais difíceis de serem realizadas que eu já vi", disse Kai Eide, o chefe da ONU no Afeganistão, nesta terça-feira, 28.

 

A declaração do funcionário da ONU se deu enquanto ele acompanhava o carregamento de caminhões com equipamentos que serão usados nas votações em um hangar de Cabul, capital do país.

 

Realizar eleições em um país cheio de problemas de segurança, infraestrutura precária e de condições ruins para o transporte se mostrou um grande desafio para as autoridades, que estão utilizando meios alternativos para transportar o equipamento, como a utilização dos jumentos.

 

Segundo Eide, os burros serão usados para levar as urnas às regiões mais inacessíveis do país, áreas nas quais aviões e até mesmo helicópteros não são capazes de chegar. São cerca de 3.170 jumentos que serão carregados com urnas e despachados para a região montanhosa do Hindu Kush, na região central do país.

 

Outra preocupação das autoridades é como realizar as eleições nas turbulentas regiões sul e leste, onde tropas britânicas e americanas combatem a milícia Taleban. Em julho, as forças internacionais sofreram seu maior número de baixas na guerra que já dura oito anos.

 

Autoridades internacionais disseram que a legitimidade das eleições, a terceira desde que o Taleban foi retirado do poder, em 2001, depende da capacidade das forças de segurança de fazer com que se realizem no sul e no leste. O fato de as autoridades não conseguirem fazer a segurança das eleições, junto do provável baixo índice de comparecimento às urnas de residentes de regiões afetadas pela guerra, pode colocar em cheque a legitimidade das eleições pela ótica de alguns afegãos.

 

Além disso, dos 7 mil colégios eleitorais do país, as forças de segurança ainda não confirmaram locais para 700 deles, segundo Noor Mohammad Noor, porta-voz da Comissão Eleitoral Independente. Quase todos os colégios eleitorais indefinidos estão em áreas da etnia Pashtun, nas quais o Taleban concentra mais força, segundo as autoridades.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoeleiçõesCabulONUTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.