Uruguai abre dois postos de passagem da fronteira com Argentina

O governo do Uruguaideterminou a reabertura, nesta segunda-feira, de dois postos depassagem da fronteira com a Argentina, fechados durante o fimde semana para impedir a entrada de ambientalistas quepretendiam realizar uma manifestação contra uma polêmicafábrica de celulose. Os postos abertos são os que unem a cidade uruguaia dePaysandú, localizada 378 quilômetros a noroeste de Montevidéu,com a cidade argentina de Colón, e a cidade uruguaia de Salto,localizada 496 quilômetros ao norte da capital, com Concordia,no país vizinho. "Neste momento, os dois postos estão abertos. Recebemos umcomunicado sobre o que resolveu o conselho de ministros. Asituação continuará a ser monitorada, mas agora tudo estátranquilo", disse o encarregado do posto de Paysandú, JulioPintos, a uma rádio da área. Os dois países travam uma batalha há mais de dois anosdevido à construção de uma fábrica de celulose pela empresafinlandesa Botnia. A fábrica fica na margem uruguaia de um rioque divide a Argentina do Uruguai e já está em funcionamento. A terceira ponte binacional é a que une Fray Bentos comPuerto Unzué. Essa ponte continua fechada não apenas pelasautoridades uruguaias, mas também pelos ambientalistas, que háum ano acampam ali. A fábrica, um dos maiores investimentos ocorridos noUruguai, está localizada perto de Fray Bentos. A Argentina teme que a instalação contamine o rio e entroucom uma ação contra o Uruguai junto á corte internacional deHaia alegando que o país vizinho violou um tratado bilateral deproteção ao rio. (Texto de Patricia Avila)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.