Uruguai admite início da Alca antes de 2005

O Uruguai adotou discurso semelhante ao do Chile em relação à Área de Livre Comércio das Américas (Alca) e não descarta chegar ao final das negociações comerciais antes de 2005 e de forma unilateral. "Se chegarmos à Alca unidos, melhor. Mas é bom lembrar que a zona de livre comércio das Américas é um compromisso assumido pelos países que vão compor esse bloco, razão pela qual esse compromisso não deve ser dotado de condicionamentos", declarou nesta terça-feira em Buenos Aires o ministro de Relações Exteriores uruguaio, Didier Opertti. A posição uruguaia praticamente coincide com a do governo chileno, que quer a entrada em vigor da Alca em 2005 e não o final das negociações comerciais nesse ano, como deseja o Brasil.Opertti, que foi recebido pelo presidente Fernando de la Rúa e pelo chanceler Adalberto Giavarini na Casa Rosada, reafirmou que existe uma data limite para iniciar a Alca no máximo em 2005 e se houver oportunidade de concluir as negociações comercias antes dessa data não será apenas produto de uma vontade, mas de resultados concretos durante as discussões entre os 34 países das três Américas, exceto Cuba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.