Uruguai ameaça retirar-se da Unasul

O Uruguai se retirará da União de Nações Sul-americanas (Unasul), caso a Argentina insista em pressionar pela candidatura do ex-presidente Néstor Kirchner para o posto de Secretário-geral desse organismo, que reúne todos os países da América do Sul, exceto ilhas Malvinas e a Guiana Francesa. A informação está publicada hoje na imprensa de Montevidéu, que - citando fontes do governo do presidente uruguaio Tabaré Vázquez - indicou que na última reunião privada do Conselho de Ministros, realizado na semana passada, o chanceler uruguaio Gonzalo Fernández comunicou aos colegas a decisão tomada.Os uruguaios insistirão no cumprimento das normas da Unasul, que sustentam que o posto de Secretário do organismo só pode ser ocupado por alguém que consiga "unanimidade". O racha poderia ocorrer durante a reunião de cúpula de presidentes dos Mercosul, que será realizada na Costa do Sauípe (BA) na terça-feira. Hoje, desembarcam em território brasileiro os presidentes que participarão do evento.Mas a resistência uruguaia não estaria levando o governo da presidente Cristina Kirchner a mudar de idéia. Cristina, segundo o jornal portenho Clarín, insistiria na candidatura do marido durante a reunião do Mercosul no Brasil. Informações extra-oficiais sustentam que a Argentina pediria que as regras da Unasul sejam modificadas, de forma que o Secretário possa ser designado pela maioria.Os uruguaios rejeitam a candidatura por causa do apoio explícito de Kirchner aos manifestantes que na fronteira argentina com o Uruguai protestam há dois anos contra o funcionamento da fábrica de celulose Botnia, situada sobre o rio Uruguai, que divide os dois países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.