Mariana Greif/Reuters
Mariana Greif/Reuters

Uruguai começa a abrir fronteiras para vacinados após controlar pandemia

Inicialmente, poderão entrar apenas estrangeiros que tenham propriedades no país; para os demais visitantes, a entrada será permitida em novembro

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2021 | 20h00

MONTEVIDÉU - O Uruguai vai começar a abrir suas fronteiras aos estrangeiros que tenham propriedades no país a partir de 1.º de setembro e dois meses depois, em novembro, vai abrir o país para o restante de visitantes, anunciou na segunda-feira, 9, o presidente Luis Lacalle Pou, deixando claro que em ambos os casos os que entrarem no Uruguai deverão estar completamente imunizados e devem apresentar um teste PCR negativo para covid-19.

Os proprietários vão poder entrar com seus respectivos cônjuges e filhos. No caso das crianças e dos menores de idade, não será exigida a vacinação completa, já que muitos países ainda não estão vacinando pessoas abaixo dos 18 anos.

Lacalle Pou disse que “pode existir a possibilidade” de que esses jovens e crianças sejam vacinados de forma gratuita no Uruguai, mas esclareceu que “essa é uma decisão que ainda não foi tomada”. Os detalhes do protocolo de entrada no país, que indica se haverá necessidade de um segundo PCR ou uma quarentena, serão apresentados pelo Ministério de Saúde Pública do Uruguai nos próximos dias.

O presidente ainda afirmou que as novas medidas foram tomadas à luz da favorável situação sanitária do país. O Uruguai, com uma população de 3,5 milhões de pessoas, tem 73% delas vacinadas com pelo menos uma dose do imunizante contra o coronavírus, enquanto 65% já estão totalmente vacinadas.

Lacalle Pou disse que "o Uruguai assegurou quase 1,5 milhões de vacinas Pfizer" entre agosto e setembro, e estimou que, até novembro, quando as fronteiras se abrirem para todos os estrangeiros vacinados, a imunização no país será "bem superior a 75%".

Além disso, "teremos aplicado a terceira dose quase que inteiramente", calculou ele, fazendo referência à dose extra da vacina da Pfizer que começará a ser dada na próxima segunda-feira a todos aqueles vacinados com doses da CoronaVac.

A alta taxa de imunização contra a Covid-19 no país está ligada a uma forte queda nas infecções, mortes e hospitalizações em terapia intensiva devido a Covid-19 desde junho.

O último sábado foi o primeiro dia em 2021 em que o Uruguai não registrou nenhuma morte em função do coronavírus, fato que se repetiu no domingo. Meses atrás, o Uruguai permaneceu por semanas como a nação com mais mortes por dia em relação à sua população. Desde o início da pandemia, a nação acumulou 5.989 mortes e 382.607 casos.

De volta aos estádios

Com o bom desempenho do combate à pandemia, Lacalle Pou também anunciou que os espectadores poderão retornar aos estádios de futebol na próxima semana, no jogo das quartas de final da Copa Sul-Americana entre Peñarol e Sporting Cristal do Peru, em Montevidéu.

“Vamos autorizar uma capacidade de 5 mil pessoas para esta partida”, disse o presidente, esclarecendo que todos os torcedores devem estar totalmente imunizados.

Essa é a primeira partida com público feita no Uruguai desde que foi proibida a entrada de torcedores nos estádios em 13 de março de 2020, quando foi decretada a emergência sanitária por causa da pandemia. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.