Uruguai pagava funcionário fantasma há 11 anos

O caso de Juan Carlos Pranzo, diretor de Administração do Ministério do Trabalho e Segurança Social do Uruguai, é um possível recorde: recebeu salário por 11 anos, mas nunca foi trabalhar. Segundo o jornal EL País, em reportagem nesta quarta-feira, o ministro Santiago Pérez del Castillo, informado sobre a situação, afastou o funcionário imediatamente e disse que Pranzo deveria ter se aposentado há seis anos, mas os últimos presidentes - Jorge Batle e seu antecessor Julio Sanguinetti - prorrogaram seu tempo de serviço.Segundo o jornal, Pranzo admitiu não ir trabalhar há 11 anos. Pranzo não foi encontrado para confirmar a versão do jornal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.