AP Photo/Matilde Campodonico
AP Photo/Matilde Campodonico

Uruguai registra maior taxa de contágios diários por covid-19 do mundo

País, que não impôs quarentena obrigatória, foi considerado exemplo de combate à pandemia em 2020, mas agora registra o maior número de novos casos diários per capita do mundo; governo descarta por enquanto ampliar restrições

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2021 | 12h48

MONTEVIDÉU - O Uruguai, considerado um exemplo na luta contra a covid-19 durante a maior parte de 2020, começou a registrar a maior quantidade de novos casos diários per capita do mundo, segundo um balanço da agência France-Press.

O país registrou cerca de 1.370 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, de longe a maior taxa do mundo, já que nenhum outro país superou os 1.000 contágios diários por 100 mil habitantes neste período, segundo estatísticas da agência realizadas com base em dados oficiais.

O governo uruguaio reportou na segunda-feira 71 mortes por covid, a maior cifra desde o início da emergência sanitária, em março de 2020. No total, o país de 3,5 milhões de habitantes registra 149.430 contágios e 1.595 mortes em razão do novo coronavírus.

O aumento do número de contágios põe em risco o atendimento em hospitais públicos e privados em todo o país, onde 53% dos leitos de terapia intensiva estão ocupados por infectados com a covid-19. Segundo boletim da Sociedade Uruguaia de Medicina Intensiva, até a segunda-feira havia 77% de ocupação total nas unidades de terapia intensiva.

Sem endurecer as medidas

Outrora um exemplo regional por sua bem sucedida gestão da pandemia, o país vive seu pior momento sanitário. Mas o presidente Luis Lacalle Pou se mostrou relutante em endurecer as medidas existentes para restringir a mobilidade, argumentando que seu governo não acredita em "um Estado policial".

O país, que nunca decretou quarentena obrigatória, suspendeu as aulas presenciais e os espetáculos públicos e fechou alguns escritórios públicos não essenciais. Mas estabelecimentos comerciais de todos os setores, incluindo bares e restaurantes, permanecem abertos, com muita movimentação nas ruas.

Por volta das 21H de terça-feira, um forte panelaço pôde ser ouvido em vários bairros de Montevidéu pedindo mais medidas para conter os contágios, constataram jornalistas da AFP. 

A convocação para bater panelas, que não foi feita por nenhuma organização política, realizou-se durante o dia pelas redes sociais com a hashtag #UruguayCacerolea.

Até o momento, no entanto, a administração parece ter apostado todas as fichas em um programa de vacinação que avança em um ritmo bom e não dá sinais de anunciar novas medidas restritivas. 

Quase 26% da população uruguaia recebeu a primeira dose das vacinas da CoronaVac ou da Pfizer, e 6% a segunda, desde que teve início a campanha de imunização no país, em 1º de março. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.