EFE/ David Fernández
EFE/ David Fernández

Uruguai venderá erva mate com cannabis

Produto foi autorizado pelo Ministério de Saúde e não contém princípios psicoativos

O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2018 | 22h34

MONTEVIDÉU - Na próxima semana começará a ser vendida no Uruguai a erva mate com cannabis, após o Ministério da Saúde autorizar o novo produto, anunciaram nesta quarta-feira os distribuidores.

As primeiras marcas a oferecer a nova variedade são Consentina e La Abuelita. Pablo Riveiro, representante de ambas, explicou que o produto não tem efeito psicoativo, pois não possui THC (tetra-hidrocarbinol), principal componente da planta da maconha, sendo responsável por seus efeitos alucinógenos.

Assim, as ervas "terão sua venda livre e poderão ser consumidas por qualquer pessoa", disse Riveiro à agência DPA, confirmando que o produto começará a ser vendido na próxima semana. 

+ Maconha de farmácias uruguaias é esnobada por quem pode pagar clubes

"É uma erva não medicinal. Não é um medicamento e não é psicoativo", acrescentou o empresário uruguaio, destacando que a mistura terá os benefícios do cannabidiol, que tem propiedades farmacológicas.

No Uruguai o mate é consumido a qualquer hora do dia com água quente e costuma ser vendido puro ou misturado com outras ervas, em alguns casos medicinais.

A comercialização ocorrerá pouco mais de um ano após um produto similar ter sido retirado das lojas do Uruguai pelo Ministério de Saúde Pública, por não cumprir as normas.

O pacote de um quilo do mate com cannabis custará aproximadamente US$ 7 e será facilmente identificável pelos consumidores, pois sua embalagem terá uma folha de coca.

Desde 2016 o mercado da maconha está regulado no Uruguai e a erva é vendida livremente ao público em uma rede de farmácias com algumas condições, como registrar-se previamente.

Também estão autorizados os clubes canábicos e o cultivo pessoal com limite de plantas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.