Usina atômica do Irã começará a funcionar no próximo dia 21

Complexo de Bushehr receberá material nuclear de agência nuclear da Rússia

Efe

13 de agosto de 2010 | 07h46

MOSCOU - A primeira usina atômica do Irã, Bushehr, construída por especialistas russos às margens do Golfo Pérsico, começará a funcionar no próximo dia 21, anunciou nesta sexta-feira, 13, a agência nuclear russa Rosatom.

 

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

 

A ligação da usina, de mil megawatts de potência, acontecerá depois que especialistas russos e iranianos abastecerem a central com o combustível nuclear necessário, informou o escritório de imprensa da Rosatom.

 

A cerimônia de ativação da planta terá participação do chefe da Rosatom, Serguei Kirienko, e do diretor da Organização da Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, segundo a agência russa Interfax.

 

As autoridades iranianas anunciaram nesta sexta que a planta de Bushehr passou pelos testes de funcionamento e de segurança e está pronta para começar a funcionar, segundo as agências russas informaram desde Teerã. "Todas as obras de instalação de equipamentos e os testes foram concluídos. A usina nuclear está pronta para ser inaugurada", declarou à televisão estatal iraniana Mahmoud Jafari, alto funcionário que supervisiona a construção de Bushehr.

 

O chefe da agência nuclear russa declarou em julho que a primeira etapa de preparativos para o início das operações de Bushehr terminaria antes do fim de agosto, e que a data de início de seu funcionamento seria decidido pelas autoridades iranianas.

 

Kirienko destacou que esta primeira etapa incluía a transferência do combustível nuclear até o reator, para que fosse colocado no interior durante a segunda, enquanto na terceira etapa a planta devia conseguir o nível mínimo controlado de funcionamento.

 

O diretor russo negou que a imposição de sanções internacionais ao Irã tenha afetado a construção de Bushehr, ao explicar que as duas fases do ciclo nuclear da planta, que podem ser utilizadas tanto com fins civis quanto militares, acontecem em território russo. Kirienko se referiu ao enriquecimento de urânio e à reciclagem do combustível nuclear utilizado para o funcionamento da central de Bushehr.

 

Com o beneplácito da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e apesar das críticas dos EUA, a Rússia forneceu durante os últimos anos ao Irã combustível nuclear com destino a Bushehr. A Rússia sempre garantiu que "a parte iraniana deu garantias escritas adicionais de que o combustível seria utilizado exclusivamente na central" para a geração de eletricidade.

 

Além disso, Moscou e Teerã assinaram no início de 2005 um protocolo adicional sobre a devolução à Rússia do combustível nuclear usado na central atômica.

 

Bushehr deveria ter começado a funcionar primeiro em 2007, e depois em 2009, mas em novembro do ano passado a Rússia anunciou que adiaria a inauguração até este ano, sem explicar os motivos, o que provocou descontentamento em Teerã.

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, disse em 18 de março que a Rússia planejava pôr o reator da usina de Bushehr em operação no verão de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaIrãusina nuclearnuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.