Usina de Bushehr só deve produzir energia a partir de 2011, diz Irã

Vírus infectou sistema de computação e atrasou inauguração do complexo iraniano

Efe

29 de setembro de 2010 | 12h39

TEERÃ - A inauguração da primeira usina nuclear do Irã foi adiada e o complexo só começará a funcionar no início de 2011, disse nesta quarta-feira, 29, um oficial do governo. O atraso na inauguração é de dois meses e ocorre após o sistema de computação geral iraniano ser afetado por um vírus.

 

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

 

O Irã iniciou o abastecimento de combustível na usina de Bushehr em agosto. As autoridades diziam que levariam de dois a três meses para que o complexo passasse a funcionar e a fornecer energia elétrica.

 

"Esperamos que o combustível seja levado para o núcleo da usina na semana que vem", disse Ali Akbar Salehi, chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, segundo a agência semioficial Isna. "Estamos nos preparando e o combustível estará totalmente carregado em novembro. O coração da usina de Bushehr vai poder começar a bater a partir daí", disse. A usina deve começar a produzir energia entre fevereiro e março.

 

Especialistas dizem que o vírus Stuxnet, a anomalia que causou problemas no sistema de computação iraniano, teve o incentivo de algum país. Eles suspeitam de Israel e dos EUA, os principais rivais do Irã.

 

As potências ocidentais acusam o Irã de esconder, sob seu programa nuclear civil, outro de natureza clandestina e aplicações bélicas, cujo objetivo seria a aquisição de armas atômicas. Teerã nega tais alegações.

 

As tensões sobre o programa nuclear iraniano se acirraram no final do ano passado após o Irã rejeitar uma proposta de troca de urânio feita por EUA, Rússia e Reino Unido. Meses depois, o país começou a enriquecer urânio a 20%.

 

Um acordo mediado por Brasil e Turquia para troca de urânio chegou a ser assinado com o Irã em maio. O acordo, porém, foi rejeitado pelo Grupo de Viena - composto por Rússia, França, EUA e AEIA - e o Conselho de Segurança da ONU optou por impor uma quarta rodada de sanções ao país.

Tudo o que sabemos sobre:
BushehrIrãnuclearusinaurânio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.