Usina nuclear em New Jersey entra em alerta

A Exelon Corporation declarou ontem estado de "alerta" na usina nuclear de Oyster Creek, em New Jersey, em razão do um aumento recorde do nível das águas, informou a Comissão Reguladora Nuclear dos EUA (NRC), advertindo que a mais antiga usina em funcionamento do país pode ter de usar abastecimento de água de emergência para resfriar barras de combustível de urânio.

NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

31 de outubro de 2012 | 02h02

O alerta - o segundo mais baixo dos quatro níveis de ação da NRC - veio depois que os níveis de água da usina subiram mais de 2 metros, potencialmente afetando as bombas que fazem a água circular pela usina, afirmou um porta-voz da NRC.

Essas bombas não são essenciais, pois o local está fechada para reabastecimento planejado desde 22 de outubro. No entanto, um aumento maior poderia fazer submergir o motor da bomba em funcionamento, que é usada para arrefecer a água no tanque de combustível utilizado. A Exelon disse, em um comunicado, que não havia nenhuma ameaça à saúde pública ou à segurança.

O incidente em Oyster Creek, que fica 95 quilômetros a leste da Filadélfia, na costa do Estado de New Jersey, ocorreu quando a tempestade Sandy tocou o continente como furacão de categoria 1 - numa escala que vai até 5.

Analistas veem no incidente o maior teste de preparação de emergência do setor desde o desastre de Fukushima, no Japão, um ano e meio atrás.

Embora tais alertas sejam considerados eventos graves na indústria - com apenas cerca de uma dúzia de casos do tipo nos últimos quatro anos -, as águas da inundação devem recuar após a maré alta, reduzindo os riscos. De acordo com a NRC, nenhum dos outros reatores nucleares do país teve de ser fechado em razão da tempestade. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.