Usuário identifica no Twitter celebridades que teriam censurado escândalo

Divulgação de nomes causa polêmica e chega a congestionar site com supostas revelações.

BBC Brasil, BBC

09 de maio de 2011 | 15h33

Um internauta causou grande expectativa e polêmica na Grã-Bretanha ao divulgar no Twitter nomes de celebridades que, segundo ele, obtiveram liminares na Justiça para impedir a imprensa britânica de revelar detalhes sobre as suas vidas privadas.

Milhares de pessoas passaram a seguir o usuário no Twitter depois que ele prometeu identificar as celebridades, provocando problemas de navegação no site de microblogging. Na manhã desta segunda-feira, ele já contava com mais de 20 mil seguidores.

O usuário publicou os nomes de pelo menos duas celebridades em sua conta no Twitter, mas uma delas negou que tivesse obtido uma liminar para restringir a divulgação de informações na imprensa.

Diversas personalidades têm recorrido à Justiça britânica para proibir jornais e revistas de noticiarem informações sobre suas vidas privadas. Algumas das decisões - conhecidas como "superliminares" - impedem inclusive que a imprensa britânica noticie que a liminar foi concedida.

As superliminares provocam polêmica no país. Alguns jornais britânicos afirmam que cabe ao Parlamento - e não à Justiça - a tarefa de regular a imprensa e as leis sobre privacidade.

Também há incerteza sobre o escopo das liminares e superliminares. Alguns advogados avaliam que elas se aplicam apenas a meios tradicionais de imprensa - como rádio, jornais, revistas e televisão - e não às redes sociais - como o Twitter.

Twitter

A socialite britânica Jemima Khan estava entre as celebridades acusadas pelo usuário do Twitter de obter liminares na Justiça.

Ela negou a alegação usando sua própria conta no Twitter: "Boatos de que eu obtive uma superliminar impedindo a publicação de fotos 'íntimas' minhas com (o apresentador de televisão) Jeremy Clarkson. NÃO É VERDADE!"

Recentemente, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, manifestou preocupação com a concessão cada vez mais corrente de liminares de censura à imprensa.

A advogada Charlotte Harris, que trata de casos envolvendo imprensa e privacidade, critica os jornais - sobretudo os tabloides - que usam o Twitter como ferramenta para contornar liminares e superliminares.

"Você deveria poder encerrar uma relação com alguém, seja casado ou não, sem que a outra pessoa diga 'agora eu vou conversar com um tabloide e vou destruir sua vida, vou contar todos os detalhes íntimos a seu respeito'", disse Harris. "Você deveria ter alguma forma de se proteger disso."

Um comitê do Poder Judiciário britânico está preparando um relatório sobre o tema, que deve ser apresentado no final deste mês.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.