Vacina contra cigarro entra em teste clínico

A vacina para viciados em nicotina entrou em sua primeira fase de testes clínicos. A informação foi dada pela indústria farmacêutica britânica Xenova PLC, fabricante do medicamento. Nesta primeira fase serão feitos testes de segurança, tolerância e imunidade genética à vacina em grupos de fumantes e não-fumantes. A vacina, que é aplicada por injeção intramuscular, tem dois diferentes níveis de dosagem, que serão investigados através de um sistema de variação de regime de doses. A TA-NIC, como é chamada, é a primeira vacina antinicotina que avança para uma fase de testes clínicos, e atua diretamente no vício do fumo, ao evitar a chegada da nicotina ao cérebro. Entre os tratamentos disponíveis atualmente para quem quer parar de fumar estão a substituição de nicotina no corpo humano por adesivos cutâneos, chicletes e tratamentos com inalantes. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo usa algum produto que libera nicotina no cérebro, o que resulta na morte de 3 milhões de pessoas por hábitos ligados ao tabagismo. Além da vacina contra nicotina, a Xenova está desenvolvendo a TA-CD, que está na segunda fase de testes clínicos e deve ser usada no combate ao vício da cocaína.

Agencia Estado,

10 de setembro de 2001 | 19h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.