Vaga de Ted Kennedy no Senado passa por negociação

A morte do senador pelo Estado de Massachusetts Ted Kennedy, no fim da noite de ontem (horário local), não é apenas uma perda pessoal para a maioria de seus colegas no Senado. O fato também retira do Partido Democrata um voto crucial, no momento em que a sigla tenta aprovar importantes leis nos próximos meses, incluindo a reforma no sistema de saúde. Antes de morrer, Kennedy escreveu uma carta para os líderes políticos do Estado, pedindo a eles que mudassem as regras para a sucessão, a fim de não manter o cargo vago até a realização de eleições especiais, no início do ano que vem.

AE, Agencia Estado

26 de agosto de 2009 | 15h03

A lei de Massachusetts permitia que o governador apontasse um sucessor. Os democratas, porém, mudaram a legislação em 2004, por causa do temor de que o governador republicano Mitt Romney não apontasse um democrata, caso o senador democrata John Kerry chegasse à presidência. Na carta, Kennedy pediu a líderes estaduais que deem ao governador democrata Deval Patrick a autoridade para apontar um substituto temporário até a eleição.

No início, a iniciativa não teve uma recepção entusiasmada e nenhum dos parlamentares mais importantes do Estado apoiou o plano publicamente. Ontem, contudo, a senadora Therese Murray sinalizou a um repórter do "Boston Globe" que agora estava aberta ao pedido. "Ela está ouvindo os membros e mantendo uma mente aberta", disse também ontem o senador por Massachusetts Robert A. O''Leary. "Eu estou completamente comprometido com isso e ela entende e está confortável com a situação."

Não está claro se algum político por Massachusetts aceitaria a nomeação temporária, caso os parlamentares estaduais alterem a regra para a sucessão. Não faltam, porém, candidatos para disputar uma eleição especial. Os deputados democratas pelo Estado Mike Capuano, Steve Lynch e Ed Markey são considerados candidatos potenciais, bem como o ex-deputado Marty Meehan, que deixou o posto para se tornar reitor da Universidade de Massachusetts. O ex-deputado Joe Kennedy, filho do ex-senador Robert F. Kennedy, também já foi apontado como potencial candidato.

Em uma entrevista a uma emissora local de Massachusetts, na manhã de hoje, Capuano sinalizou que apoiava o pedido de Ted Kennedy por um senador temporário até as eleições. "Seria um verdadeiro tapa na cara do país se o único motivo para não aprovarmos a lei do sistema de saúde fosse um posto vago", disse ele. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUATed KennedyvagaSenadonegociação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.