Vaga na presidência provoca disputa no PJ

Os peronistas assumirão o poder com o peso de 25 mortes e mais de 400 feridos nos últimos confrontos entre a polícia e manifestantes além de um grave quadro social. O Congresso tem 48 horas para decidir quem será o presidente da Argentina, uma tarefa difícil que dependerá da briga interna dos justicialistas pelo poder. Donos da maioria nas duas Casas, os justicialistas, também chamados de peronistas, possuem vários candidatos além dos senadores Ramón Puerta e Eduardo Duhalde, como os governadores presidenciáveis Carlos Ruckauf, José Manuel de la Sota e Carlos Reutemann.Estes últimos têm se manifestado mais pela convocação de eleições em 60 dias, ou no máximo em 90 dias. Já Eduardo Duhalde estaria disposto a assumir o cargo somente se for para completar os dois anos de mandato. Fontes ligadas ao senador Duhalde disseram à Agência Estado que ele não quer sofrer os desgastes de um governo transitório de apenas alguns meses.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.