Vai a 157 total de mortes por avalanches no Afeganistão

Pelo menos 157 pessoas morreram em uma série de avalanches que bloqueou uma passagem entre montanhas ao norte de Cabul, deixando presas centenas de pessoas, afirmaram hoje autoridades afegãs. Um porta-voz do Ministério do Interior confirmou que foram recolhidos nos últimos dois dias 157 corpos da Passagem Salang, uma importante via que liga a capital do Afeganistão ao norte. Em Cabul, o porta-voz disse que 2,5 quilômetros da rodovia foram desobstruídos. Pelo menos 2.600 pessoas foram resgatadas até o momento, segundo o funcionário.

AE-AP, Agencia Estado

10 de fevereiro de 2010 | 09h42

A série de avalanches começou na segunda-feira, ao longo da passagem de 3,8 quilômetros, fechando rodovias e deixando centenas presos. Algumas das vítimas foram encontradas mortas congeladas, dentro de seus carros. Em outros casos, os corpos estavam ao lado das vias.

Pelo menos 25 avalanches atingiram a passagem, bloqueando 3,5 quilômetros de rodovias e deixando centenas de veículos enterrados. Aproximadamente 400 policiais, junto com 100 voluntários locais, participaram do esforço para localizar sobreviventes nas últimas 24 horas.

O porta-voz disse que 135 corpos foram retirados da província de Parwan, no norte, enquanto os outros foram encontrados em Baglan, mais ao sul. Equipes de resgate encontraram outras dezenas de pessoas presas na manhã de hoje, relatou o funcionário.

Resgates

O Ministério da Defesa informou ontem que forças afegãs conseguiram resgatar mais de 400 feridos e que 180 deles foram levados por helicópteros das forças de coalizão para a base aérea de Bagram, onde receberam tratamento médico, segundo o ministro da Defesa, general Abdul Rahim Wardak.

Aproximadamente 500 soldados afegãos se envolveram nos resgates, ao lado da polícia. A coalizão internacional contribuiu com quatro helicópteros, enquanto as forças locais enviaram duas motocicletas, várias ambulâncias e escavadeiras, segundo o Exército afegão.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoavalanchesmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.