Andrés Cristaldo/Efe
Andrés Cristaldo/Efe

Vai a 17 número de mortos em confronto entre policiais e sem-terras no Paraguai

Enfrentamento entre polícia e trabalhadores rurais ocorreu em fazenda localizada a 400 km ao norte de Assunção

estadão.com.br,

15 de junho de 2012 | 16h22

Texto atualizado às 21h

 

ASSUNÇÃO - Pelo menos 17 pessoas morreram em confrontos entre policiais paraguaios e trabalhadores rurais nesta sexta-feira, 15, em uma fazenda no departamento de Canindeyú, 400 km ao norte da capital, Assunção. Cerca de cem pessoas ficaram feridas, informaram as autoridades do país. Entre os mortos há sete policiais e dez camponeses. O departamento de Canindeyú faz fronteira com o Paraná.

 

Veja também:

linkFazendas substituem florestas no Paraguai

 

As mortes aconteceram depois que mais de 300 policiais enfrentaram a tiros grupos de trabalhadores sem-terra durante uma operação de despejo determinada pela justiça na fazenda Morumbi, do conhecido empresário e político Blas N. Riquelme.

 

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, demitiu o ministro do Interior, Carlos Filizzola, e o comandante da polícia Paulino Rojas, pelo ocorrido.

 

Filizzola, havia dito não se saber se os fatos tinham alguma relação com o Exército do Povo Paraguaio (EPP), grupo criminoso que atua na região do confronto.

 

Com Efe e Agência Estado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.