Vai a 283 número de mortos em terremoto na Itália

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, afirmou que a reconstrução da região atingida pelo terremoto da última segunda-feira vai custar bilhões de euros. Berlusconi disse que o total de mortos em consequência da tragédia chegou a 283, incluindo 20 crianças e adolescentes. Berlusconi informou também que o governo aumentou o valor da ajuda emergencial para 100 milhões de euros (US$ 132,73 milhões). Outro tremor secundário, de 4.9 graus na escala Richter, atingiu hoje a região do Abruzzo, informou a agência Ansa. Não existem ainda informações sobre danos ou vítimas.

AE-AP, Agencia Estado

09 de abril de 2009 | 17h57

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, também visitou L''Aquila hoje. Ele fez uma parada no destruído dormitório de estudantes no centro histórico da cidade e também visitou a pequena cidade vizinha de Onna. Napolitano conversou com desabrigados em campos de tendas. A cidade medieval de L''Aquila começou a voltar lentamente ao normal hoje, à medida que comerciantes reabriram suas lojas três dias depois do tremor de terra, de 6.3 graus, que deixou o centro histórico parcialmente destruído e interrompeu quase todas as atividades comerciais do local.

Várias réplicas de terremoto ocorreram na madrugada desta quinta-feira, assustando os moradores, 18 mil dos quais estão vivendo em tendas nas imediações da cidade. Outras 700 pessoas passaram a noite em vagões de trens que a estatal ferroviária italiana, a Ferrovie dello Stato, abriu para os desabrigados na estação da cidade. Outros 10 mil habitantes de L''Aquila estão abrigados em hotéis no Mar Adriático.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.