Vala comum é descoberta na cidade síria de Deraa

Segundo ativistas, forças de segurança isolaram a área na parte antiga da cidade

Agência Estado

16 de maio de 2011 | 11h50

DAMASCO - Uma vala comum foi descoberta nesta segunda-feira, 16, na cidade síria de Deraa, sul do país, epicentro dos protestos contra o governo que ocorrem há dois meses e virtualmente fechada ao mundo exterior, afirmou um ativista à France Presse por telefone.

 

Veja também:

blog GUSTAVO CHACRA: Levantes não seguem linha sectária

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens dos protestos na região

 

"O Exército permitiu hoje que os moradores se aventurem fora de suas casas durante duas horas por dia", afirmou Ammar Qurabi, da Organização Nacional pelos Direitos Humanos na Síria.

"Eles descobriram uma vala comum na parte antiga da cidade, mas autoridades imediatamente isolaram a área para evitar que moradores recolhessem corpos, alguns dos quais eles prometeram que serão entregues (à família) depois", afirmou o ativista, falando do Cairo.

Qurabi disse que o regime do presidente Bashar Assad precisa ter total responsabilidade pelos crimes cometidos contra cidadãos "desarmados".

 

Ele pediu à comunidade internacional e à sociedade civil que pressione pelo fim da "brutal repressão" contra seu povo. O ativista não sabia quantos corpos estavam na vala comum. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelSíriafronteiraataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.