Vantagem de al-Maliki diminui nas eleições do Iraque

Resultados parciais das eleições de domingo, no Iraque, mostram uma disputa apertada entre o primeiro-ministro Nouri al-Maliki, que lidera em duas províncias xiitas, ao sul do país, e os seculares, que parecem ter apoio sunita na região norte. O bloco de al-Maliki estava na liderança, com mais de um terço dos votos contados nas províncias xiitas de Babil e Najaf, onde a coalizão rival xiita esperava conquistar ganhos. A lista da coalizão Iraqiya, que é liderada pelo ex-primeiro-ministro Ayad Allawi, um xiita secular, está na liderança em Diyala e Salahuddin, que já foram comandados por sunitas.

AE-AP, Agencia Estado

11 de março de 2010 | 17h33

Os resultados da quinta província, Irbil, também foram divulgados mostrando a Aliança Curda, que se uniu dos dois principais partidos curdos, derrotando o principal partido curdo, Gorran, no território autônomo. Em jogo, está o direito de governar o instável Iraque na medida em que as tropas dos Estados Unidos se preparam para voltar para casa. Os resultados mais importantes, referentes a Bagdá, ainda não foram divulgados.

Os resultados parciais da Alta Comissão Eleitoral Independente foram divulgados numa caótica sala de monitoramento em Bagdá, e a contagem do restante do país deve ser divulgada nos próximos dias. Nenhum bloco deve conquistar uma ampla maioria, o que significa que os que conseguirem bons resultados terão de negociar para formar alianças e escolher o primeiro-ministro. Num esforço para ser considerado um líder para todos os iraquianos, Al-Maliki deixou a principal coalizão xiita no ano passado para criar a Aliança Estado de Direito, que incluiu alguns líderes sunitas.

Números da contagem

Na província de Babil, o bloco político de Al-Maliki conquistou cerca de 42% dos estimados 160.870 votos que foram contados até agora, segundo dados divulgados pela comissão eleitoral. Na vizinha província de Najaf, a vitória de Al-Maliki foi ainda maior - cerca de 47% dos 116.600 votos contados.

"Esses resultados eram esperados e refletem o tamanho do apoio a nossa lista", disse o candidato do Estado de Direito, Sadiq al-Laban, em Najaf. "Nós estendemos nossas mãos a qualquer bloco que queira trabalhar por um Iraque melhor."

Mas Al-Maliki parece estar bem atrás da lista de Allawi nas províncias centrais de Salahuddin, majoritariamente sunita, e Diyala, que tem uma população mista de sunitas, xiitas e turcomanos. Com apenas 17% dos votos contados, bem menos do que os 30% que os oficiais eleitorais haviam estabelecidos como padrão para divulgar os resultados - a Iraqiya tinha cerca de 55% dos votos em Diyala e 60% em Salahuddin.

As informações eleitorais foram divulgadas no mesmo dia em que o escritório do primeiro-ministro informou que Al-Malik passou por uma cirurgia na quarta-feira. Um auxiliar do primeiro-ministro descreveu a cirurgia como um "procedimento simples". Al-Maliki já saiu do hospital e está de volta ao trabalho, diz um comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.