Vaticano acusa TV italiana de esconder protesto pela paz

O "Osservatore Romano", órgão de imprensa do Vaticano, renovou hoje, em sua primeira página, seus protestos contra a RAI, a rádio e televisão italiana, por não ter transmitido, "ao vivo", a passeata pela paz em Roma, que reuniu mais de dois milhões de pessoas. O papa tem marcado sem pontificado por uma defesa intransigente da paz, posição sublinhada nas últimas semanas em relação ao Iraque.Tendo enviado a Bagdá um destacado diplomata, cardeal Roger Etchegaray, e recebido o vice-primeiro-ministro de Saddam Hussein, Tarek Aziz, o Vaticano não tolerou a decisão da tevê estatal italiana de "censurar" as passeatas pela paz."A realidade é que uma manifestação do povo contra a guerra não foi transmitida pela televisão pública", escreveu o diário da Santa Sé.O diário sustentou que as imagens das pessoas dizendo "não" à guerra serviriam para alimentar o debate num momento crucial para o destino dos povos. A decisão da RAI também provocou duros protestos da oposição de centro-esquerda italiana, que pediu a renúncia do diretor-geral, Agostino Saccá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.