Vaticano ataca o feminismo e o casamento gay

O Vaticano divulgou hoje um documento intitulado Carta sobre a Colaboração entre Homem e Mulher na Igreja Mundial que acusa o feminismo de tentar eliminar as diferenças biológicas entre homens e mulheres e alerta que o movimento criou uma séria ameaça à família tradicional baseada nas figuras materna e paterna. A igreja argumenta que "desde o primeiro momento da criação, homem e mulher são diferentes, e continuarão assim pela eternidade".O documento de 37 páginas é dirigido aos bispos da igreja católica e denuncia os casamentos gays pedindo a políticos e religiosos que impeçam o reconhecimento legal dessas uniões. A carta também reforça a proibição pela igreja da ordenação das mulheres mas destaca a importância feminina na vida cristã. Refletindo uma opinião do papa João Paulo, o documento diz que a mulher não deve ser estigmatizada ou penalizada financeiramente por querer ser dona de casa.

Agencia Estado,

31 de julho de 2004 | 09h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.