Vaticano canoniza fundador do Opus Dei

A proclamação como santo do fundador do OpusDei, Josemaría Escrivá, neste domingo, na Praça de São Pedro, no Vaticano, deverá reunir mais de 200 mil pessoas, segundo o comitê organizador da canonização. Sua porta-voz, Marta Manzi,disse que os fiéis provêm de 84 países, e os grupos mais numerosos são dos Estados Unidos, Espanha, Itália, México, Brasil, França, Alemanha, Polônia e Filipinas.Os hotéis, pensões e campings estão lotados há mais de seis meses. Oito navios com mais de 10.000 devotos de Josemaría Escrivá estão atracados em Civitavecchia. O porto, que estáoperando exclusivamente para recepção de passageiros, será palco de uma grande festa em homenagem ao novo santo na noite deste sábado.O novo cais terá o nome do fundador do Opus Dei. Roma respira um clima de contagiante alegria.Na mágica Piazza Navona, onde se encontra a Embaixada do Brasil em Roma, raramente se ouve alguém falando em italiano. Mas um incrível denominador comum derruba qualquer barreiralingüística: o carinho pelo fundador do Opus Dei.A variedade de pessoas que viajaram a Roma para a canonização de Josemaría Escrivá mostra as dimensões da obra fundada pelo sacerdote. Russos - católicos, ortodoxos e protestantes -, vindos de São Petersburgo, Moscou e Rostov, chegaram à Itália depois de uma longa viagem de automóvel. Segundo o comitê organizador da canonização, mais de 5.000 peregrinos procedem dos EstadosUnidos.Lá, e em muitos outros países, multiplicaram-se as iniciativas para garantir um lugar na grande celebração. A banda de rock Kitchen Queen, de Michigan, por exemplo, organizou um showbeneficente para financiar a viagem de peregrinos de poucos recursos de vários países da América Central. Horas extras, poupança prolongada e inúmeros sacrifícios pavimentaram o itinerário de muitos devotos de Josemaría Escrivá.Cerca de 1.850 jovens - dos quais 500 são romanos - compõem o quadro dos voluntários que estão trabalhando nos eventos da canonização. Os jovens, que representam 40% dos peregrinos,estão alojados em campings, ginásios de esporte, paróquias e outros locais de Roma e da periferia. Mais de 900 famílias romanas abriram suas casas para receber famílias de escassos recursos.A canonização é um ato mediante o qual o papa inclui o nome de um bem-aventurado no catálogo dos santos e estabelece que em toda a Igreja seja honrado. Ao proclamá-los santos, a Igrejacoloca-os como intercessores e como exemplo de vida para todos os fiéis.A cerimônia deste domingo, que será presidida por João Paulo II, começará às 10 horas (5 horas no horário brasileiro) e será transmitida para todo o mundo pela TV italiana RAI e retransmitida no Brasil pelas emissoras católicas Rede Vida e Canção Nova.Josemaría Escrivá será proclamado santo no ano do centenário de seu nascimento e dez anos depois de ser proclamado bem-aventurado (em 17 de maio de 1992) também por João Paulo II e no mesmo local. Coincide, também, com o 40º aniversário daabertura do Concílio Vaticano II, no qual foi proclamada a doutrina da vocação universal à santidade, eixo da mensagem do novo santo.As celebrações da canonização continuarão nos próximos dias. Na segunda-feira, o bispo prelado do Opus Dei, d. Javier Echevarría, rezará, também na Praça de São Pedro, missa de ação de graças em honra de São Josemaría Escrivá, depois da qual opapa concederá audiência aos fiéis.De amanhã a terça-feira haverá 29 missas de ação de graças em mais de 15 idiomas, celebradas por cardeais e bispos em 16 igrejas romanas. Em São Paulo, o cardeal d. Paulo Evaristo Arns,arcebispo emérito da arquidiocese, celebrará neste domingo missa de ação de graças no Centro Educacional e Assistencial da Pedreira,obra promovida pelo Opus Dei na periferia de São Paulo.Os restos mortais do fundador do Opus Dei foram trasladados da igreja prelatícia de Santa Maria da Paz, na sede central do Opus Dei, para a Basílica de Santo Eugênio, onde permanecerão até aquinta-feira. Milhares de fiéis têm ido à basílica para rezar diante das relíquias do novo santo.Nesta sexta-feira, no auditório da Accademia Nazionale di Santa Cecilia, foi apresentado o programa Harambee 2002. Harambee significa"todos juntos" no idioma africano kiswahili. Trata-se de uma iniciativa do comitê organizador da canonização de Josemaría Escrivá, que consiste na criação de um fundo de ajuda para programas de promoção humana e educacional na África.Com esse fim, serão reunidos donativos dos peregrinos que viajaram a Roma para assistir à canonização mediante uma pequena contribuição concreta de muitas pessoas (5 euros cada)."Um homem ou uma sociedade que não reaja perante as tribulações ou as injustiças e não se esforce por aliviá-las não são nem homem nem sociedade à medida do amor do coração de Cristo", dizia o fundador do Opus Dei. De acordo com os organizadores, a canonização é um dom que convida ao agradecimento. Como expressão concreta de gratidão criou-se o projeto Harambee 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.