Vaticano defende ação humanitária, e não militar, no Iraque

Uma ação humanitária preventiva seria mais útil do que uma ação militar, escreveu hoje em seu editorial o jornal L´Osservatore Romano, do Vaticano, rebatendo a tese sobre a qual os EUA fundamentam sua decisão de lançar uma guerra contra o Iraque. O órgão do Vaticano escreve que os longos anos do embargo das Nações Unidas contra o Iraque demonstraram que "com a força não se obtém o desarmamento". Para tanto, sugere "experimentar outras vias, a das ações humanitárias".Se em lugar de se acumular armas na fronteira se acumulassem alimentos, remédios e instrumentos que permitissem a promoção das famílias, "talvez fossem os próprios assediados que se libertariam de suas correntes", diz o diário. Para L´Osservatore, "ter a coragem de formular uma resolução da mão estendida resgataria a dignidade da comunidade internacional". O jornal convida os leitores, além disso, a não se esquecerem do horror da guerra, como bem demonstraram os conflitos do século 20.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.