Vaticano desiste de boicotar memorial do Holocausto

O embaixador do Vaticano em Israel participará de um serviço em memória do Holocausto no museu Yad Vashem, recuando da ameaça de boicotar o evento, informam autoridades. O boicote estava pondo em risco as relações frágeis Israel e o Vaticano. O embaixador, monsenhor Antonio Franco, havia anunciado que não participaria do evento, previsto para a noite deste domingo, 15, por conta de uma legenda no museu, que faz restrições à conduta do papa Pio XII durante a 2ª Guerra Mundial.A legenda, junto a uma foto de Pio, diz, "mesmo quando informes do assassinato de judeus chegaram ao Vaticano, o papa não protestou", recusando-se a assinar, em 1942, um texto dos Aliados de condenação ao massacre de judeus Pio "manteve sua posição neutra" com duas exceções, diz a legenda, que critica "seu silêncio e falta de orientação". As exceções foram apelos aos governos da Hungria e da Eslováquia, já perto do fim da guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.