Vaticano diz que Obama 'tentará reduzir abortos' nos EUA

Em primeiro encontro, Bento 16 e Obama discutiram ainda células-tronco e o Oriente Médio.

BBC Brasil, BBC

10 de julho de 2009 | 18h42

O Vaticano afirmou nesta sexta-feira que o presidente americano, Barack Obama, teria prometido tentar reduzir o número de abortos nos Estados Unidos durante seu primeiro encontro com o papa Bento 16.

A reunião entre os dois líderes durou apenas 40 minutos e ocorreu no Vaticano, horas depois de Obama ter participado da reunião do G8.

"O pontífice me disse que o presidente Obama afirmou seu compromisso pessoal de tentar reduzir o número de abortos nos Estados Unidos", disse o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.

O jornal do Vaticano chegou a defender o líder americano de ataques feitos por grupos anti-abortos nos Estados Unidos, dizendo que, ao contrário do afirmado por alguns bispos católicos americanos, Obama não seria um presidente pró-aborto.

Postura

Além do aborto, outro controverso tema discutido entre Obama e Bento 16 teria sido as pesquisas com células-tronco.

O papa presenteou Obama com um livreto explicando a oposição do Vaticano sobre estes dois temas.

O presidente americano afirmou que leria o material durante a viagem a Gana, onde chegou há pouco.

O correspondente da BBC em Roma David Willey diz que o Vaticano adotou uma postura amigável em relação a Obama desde sua eleição em novembro, apesar das mudanças nas leis que passaram a facilitar as pesquisas com células-tronco.

De acordo com Willey, o encontro foi "cordial" e que o porta-voz do Vaticano disse que o papa Bento 16 ficou muito impressionado e satisfeito com a reunião.

Os líderes também teriam conversado sobre temas como o Oriente Médio, mudanças climáticas e a crise econômica mundial.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.