Vaticano excomunga arcebispo que ordenou bispos casados

O Vaticano anunciou nesta terça-feira a excomunhão do polêmico arcebispo emérito de Lusaca (Zâmbia), Emmanuel Milingo, e dos quatro sacerdotes casados que foram ordenados bispos por ele há alguns dias."Tanto o arcebispo Milingo como os quatro ordenados incorreram na excomunhão latae sententiae, prevista no cânone 1.382 do Código de Direito Canônico", informou a Sala de Imprensa da Santa Sé em comunicado.O artigo 1.382 estabelece que "o Bispo que confere a alguém a consagração episcopal sem mandato pontifício, assim como o que recebe dele a consagração, incorrem em excomunhão latae sententiae reservada à Sede Apostólica".No comunicado se afirma que a Santa Sé acompanhou com "bastante preocupação" os passos dados recentemente por Milingo, de 76 anos, com a criação de "uma nova Associação de Sacerdotes casados, semeando divisão e desconcerto entre os fiéis".O Vaticano informou que expoentes de diferentes níveis da Igreja tentaram "em vão" ligar para Milingo para "dissuadi-lo de continuar com suas ações, que causam escândalo, sobretudo nos fiéis que seguiram seu ministério pastoral em favor dos pobres e doentes".O comunicado ressaltou "a paciência" mostrada pelo Papa com o "idoso pastor da Igreja" e ressaltou que "infelizmente" os passos que deu o levaram a uma "progressiva" ruptura com a Igreja, "primeiro com o casamento e depois com a ordenação de quatro bispos em 24 de setembro em Washington".Diante desta situação, o Vaticano considerou que Milingo e os quatro ordenados incorreram na excomunhão automática. Além disso, a Santa Sé afirmou que a Igreja não reconhece estas ordenações e as que possam derivar das mesmas e afirmou que o estado canônico dos quatro bispos é o mesmo no qual se encontravam antes da ordenação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.