Vaticano mostra imagens sacras inéditas de apóstolos

A tecnologia laser do século 21 abriu uma janela para os primeiros dias da Igreja Católica, guiando os pesquisadores pelas úmidas e emboloradas catacumbas sob Roma para uma surpreendente descoberta: as primeiras imagens sacras conhecidas dos apóstolos Pedro e Paulo.

AE-AP, Agência Estado

22 de junho de 2010 | 19h33

Funcionários do Vaticano revelaram hoje as pinturas. Elas foram descobertas juntamente com as primeiras imagens conhecidas dos apóstolos João e André, em uma câmara subterrânea para sepultamento localizada embaixo de um prédio de escritórios em uma movimentada rua de Roma.

As imagens, que datam da segunda metade do século 4º, foram descobertas com o uso de uma nova técnica a laser que permite aos restauradores queimar espessos depósitos de carbonato de cálcio sem danificar as cores das pinturas. A técnica pode revolucionar a forma como o trabalho de restauração é realizado por especialistas nos quilômetros de catacumbas escavadas sob a capital italiana e onde os primeiros cristãos enterravam seus mortos.

Roma tem dezenas de câmaras de sepultamento, uma importante atração turística, dando aos visitantes uma visão sobre as tradições das origens da igreja, quando os cristãos eram perseguidos por causa de sua fé.

Os primeiros cristãos escavaram as catacumbas do lado de fora das muralhas de Roma como cemitérios subterrâneos, já que enterros eram proibidos dentro das muralhas da cidade - os romanos pagãos eram geralmente cremados.

Tudo o que sabemos sobre:
descobertaimagemRomaIgreja Católica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.