Vaticano pediu que Igreja da Irlanda escondesse abusos

Carta datada de 1997 aponta que cardeais foram instruídos a não notificar autoridades civis

Efe

19 de janeiro de 2011 | 11h54

DUBLIN - Um representante do Vaticano pediu à Igreja Católica da Irlanda que não informasse as autoridades civis do país sobre sacerdotes supostamente envolvidos em abusos sexuais contra menores, revela uma carta enviada a partir de Roma em 1997 publicada nesta quarta-feira, 19, pela emissora local "RTE".

 

Dirigida aos bispos irlandeses, a carta critica uma iniciativa que pretendia "informar por obrigação" qualquer denúncia de abuso, política que gerou "sérias reservas" entre as autoridades vaticanas.

 

A carta, assinada pelo falecido arcebispo Luciano Sotero, que representava diplomaticamente na Irlanda o papa João Paulo II, poderia servir como prova nos julgamentos que os grupos de vítimas têm abertos neste país e nos EUA, assinala a RTE.

 

"A situação de informar por obrigação provoca sérias reservas de natureza tanto moral quanto canônica (...) Os resultados podem ser altamente embaraçosos e prejudiciais para as mesmas autoridades diocesanas", escreveu Sotero.

 

O arcebispo advertiu, à época, que os bispos que aplicassem castigos à margem da lei canônica poderiam ver suas decisões revogadas, se estas acabassem sendo examinadas em Roma.

 

Segundo a RTE, o Vaticano se defendeu lembrando que essa era a visão de um departamento em particular, a Congregação para o Clero, cuja tarefa de cuidar dos casos de abusos sexuais foi assumida em 2001 pela Congregação para a Doutrina da Fé, liderada pelo cardeal Joseph Ratzinger, hoje o papa Bento XVI.

 

Os analistas opinam que a carta não terá nos tribunais o impacto desejado pelas vítimas já que o conteúdo não é uma ordem, tampouco partiu da direção oficial, apenas representa a opinião de uma determinada autoridade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.